Tribunal Regional Federal da 1ª Região

início

Comunicação Social

Imprensa

Notícias

Notificações de infração são anuladas po...

Ir para Menu Ir para Conteúdo Ir para Busca Ir para Mapa Ir para Acessibilidade

Notícias

Notificações de infração são anuladas por falta de oportunidade de defesa

03/02/11 19:55

 

A 5.ª turma do TRF da 1.ª Região deferiu pedido para que a União, na qualidade de sucessora do extinto DNER, anule três autos de notificação de infração de proprietária de automóvel GM Kadett/GLS, ano 1998, com a declaração de insubsistência das respectivas penalidades e o cancelamento dos pontos lançados em seu prontuário.

A proprietária do automóvel alega que as autuações são arbitrárias e abusivas, não tendo sido precedidas do devido processo legal, e que a cobrança de multas provenientes de infrações de trânsito detectadas por aparelhos eletrônicos de controle de velocidade é inconstitucional.

Apela a União para o TRF sustentando que não configura delegação do poder de polícia a simples apuração de dados e imagens por empresa legalmente contratada, mediante instrumento hábil devidamente aferido pelo INMETRO e operado conforme regulamentação do Contran. Diz, ainda, que os atos administrativos gozam de presunção de legalidade e veracidade, tendo ficado demonstrado que a proprietária do veículo recebeu as notificações de autuação.

A relatora, desembargadora Selene Maria de Almeida, explicou que o poder de polícia é indelegável a particulares. Mas afirmou que nada impede que determinados atos materiais sejam contratados a entidades privadas, por isso a simples apuração de dados e imagens por parte de empresa legitimamente contratada – informações posteriormente transmitidas à autoridade de trânsito competente – não significa atribuição do exercício do poder de polícia ao particular.

A relatora explicou ainda que, de acordo com o art. 3.º da Resolução 149/2003/Contran, após a verificação da regularidade do auto de infração, a autoridade de trânsito expedirá, em, no máximo, 30 dias, contados da data do cometimento da infração, a notificação de autuação ao proprietário do veículo. Nessa notificação constará a data do término do prazo para a apresentação da defesa da autuação pelo proprietário do veículo ou pelo condutor infrator devidamente identificado, que não será inferior a 15 dias, contados da data da notificação de autuação. Para a magistrada, comprovada está a necessidade de haver dupla notificação do proprietário do veículo para que seja observada a ampla defesa.

Porém, segundo a relatora, no caso dos autos o que se verificou foi que as notificações recebidas em 26/11/2001 corporificaram a própria imposição das penalidades, razão pela qual o extinto DNER não deu à proprietária do automóvel, como lhe assegura a Lei nº. 9.503/97 e a Resolução 149/2003 do CONTRAN, a oportunidade de defender-se.

 

APELAÇÃO/REEXAME NECESSÁRIO 2001.38.00.043516-2/MG

Assessoria de Comunicação Social

Edifício Sede I: SAU/SUL Quadra 2, Bloco A, Praça dos Tribunais Superiores

CEP: 70070-900 Brasília/DF - Telefone: (61) 3314-5225

CNPJ: 03.658.507/0001-25